Goru Hentai: Expressão do ódio contra a mulher

ATENÇÃO, CONTEÚDO PESADO E VIOLENTO.

Ok, já temos um jogo de videogame cujo objetivo principal é estuprar uma mulher e sua filha e depois fazer com que abortem, temos snuff movies (filmes pornográficos em que a mulher é estuprada e morta), temos as mais diversas perversidades e fetiches possíveis sobre o corpo feminino. Mas sempre se criam novas formas de mostrar até que ponto chega a violência contra a mulher.

Como se não bastassem todos aqueles hentais em que enfiam tentáculos nojentos em mulheres, sempre mostrando cuidadosamente o sofrimento das vítimas, parece que uma nova “onda” de hentais invadiu o imaginário masculino japonês.

O nome da doença é “Goru”, uma espécie de hentai em que são exibidas mulheres dilaceradas, com seus órgãos expostos e em situações de extrema dor e mutilação. São jovens, estão sempre nuas, com expressões agonizantes e preferencialmente com seios e órgãos genitais estripados. É como se não fosse mais suficiente explorar seios, canais vaginais, bundas e outros “pedaços” recortados de mulheres, agora a expressão superior da objetificação pornográfica é dilacerar as partes femininas para encontrar outras formas de excitação.

Goru

Não ouso colocar imagens maiores.

Não conseguiria mostrar certa imagem que vi, um hentai retratando uma garota decapitada, enquanto sua cabeça permanecia no chão um homem penetrava o pescoço aberto e o outro dilacerava os genitais. Muita gente já considera a nova perversidade como doente, sanguinária, absurda e etc. Mas, sinceramente, essas coisas para mim são bastante previsíveis, são nada mais que a representação extrema de uma situação bastante comum.

É engraçado ver pessoas que admitem os hentais em que mulheres são penetradas contra sua vontade por tentáculos monstruosos e recriminam os Goru. É ainda mais curioso observar que grande parte dos estímulos supostamente sexuais promovidos por estes desenhos partem do sofrimento de uma mulher, seja ele físico ou psicológico.

Estupro

Faz parte da rotina dos admiradores de hentai gozar com mulheres submissas, humilhadas, estupradas, exploradas e tudo mais que a imaginação permita. A desculpa é que, como se tratam de desenhos, todas as fantasias bizarras são válidas. Como se os desenhos não fossem uma reprodução cada vez mais fiel de seus comportamentos e desejos reais.

As mulheres dos hentais muitas vezes são retratadas com seios enormes, cinturas finíssimas e quadris largos, de forma tão desproporcional que só um desenho poderia oferecer. Ou, em outra versão do estereótipo, são retratadas como ninfetinhas inocentes de corpos quase infantis. Os pênis também costumam ser gigantescos, sempre prontos para ejacular litros de porra em qualquer parte de uma mulher que esteja em posição suficientemente subjugada.

Os famosos tentáculos são um show de horror à parte. “Uncensored pictures and movies of monsters with many tentacles invading young hentai babes.” Estampa um site. Isso mesmo, a tal tara consiste basicamente em garotinhas sendo penetradas dolorosamente por um tentáculo alien de algum monstro pegajoso. Sim, algumas pessoas se masturbam com uma coisa dessas e acham Goru o fim do mundo.

Estupro

O hentai também dissemina a idéia do bondage, com mulheres amarradas sofrendo violações enquanto não poder sequer se mexer. Tesão, muito tesão.

Violência

É fácil perceber que a dor e agonia ou submissão das mulheres são os fatores principais da excitação sexual, embora apresentados em níveis diferentes para cada tipo de Hentai. O estupro em especial parece elevar as fantasias ao êxtase, violar uma mulher e infligir-lhe dor e humilhação é o desejo latente. Alguns parecem achar que as mulheres merecem isso, outros pensam que na verdade estão gostando do ato mesmo quando doloroso e forçado. Assim os papeis sexuais femininos são difundidos, somos eternas receptoras de pintos e nosso tesão está em sofrer e suportar a penetração independente das circunstâncias, somos sempre penetráveis e incapazes de resistir.

Em questão de igualdade de direitos entre homens e mulheres, o Japão está em 79º lugar, a pior classificação entre os países desenvolvidos. A informação faz parte do Relatório de Igualdade de Gêneros 2006 apresentado na Reunião de Davos, no dia 21, pelo Forum Econômico Mundial. Não é preciso muito para perceber a situação, em um país onde mulheres sofrem caladas com a maior taxa de assédio em transporte público e trabalham vestidas de camareiras vitorianas beijando os pés dos clientes em cafés. Só pra constar, afinal nosso país não se difere muito em questão de valores.

Lá eles criam o Goru, aqui fazem filmes pornográficos com garotas visivelmente incomodadas com a dor de uma penetração violenta, ou várias. A dor e o medo da mulher são fatores campeões em excitação masculina, sem dúvida.

Embora esteja cada vez mais óbvio, eu conheço o segredinho de vocês.

Anúncios

, , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. #1 por Talita em 30/07/2009 - 8:58

    Que nojo! Nojo de quem assiste essas porcarias e de quem vende tb. Vc saberia qual é o público alvo desses hentai? É uma coisa restrita a alguma faixa etária ou classe econômica ou é o tipo de coisa que todo homem japonês gosta? Medo! Tomara que essa moda não pegue aki no Brasil.

  2. #2 por laoviahn em 30/07/2009 - 9:00

    Oi, achei seu blog justamente pesquisando sobre Goru.
    Daí vi sua foto no topo e hey, é a esposa do Fred! 🙂
    Eu queria mais opiniões a respeito disso.
    Deixa ver se consigo resumir.
    Sou ilustrador, e adoro ilustração morbida, não que isso deva se relacionar a violência a mulher longe de mim!
    E olha daqui e dali achei o ero-guro.
    Em conversas surgiram ideias para um projeto dessa linha.
    Mas violência gratuita pra mi não tem valor artistico nenhum, e nem desejo ilustrar histórias que tenham como foco mutilar e humilhar mulheres.
    Estou buscando uma linguagem de lirismo critica a sociedade e habitos humanos.
    Como os punks fizeram inumeras vezes, chocar para esclarecer.
    Mas é dificil desenvolver um roteiro que envolva esses elementos e possua uma mensagme positiva ou de justiça poetica no fim.
    Abraços.

    • #3 por whothehelliscely em 30/07/2009 - 12:59

      Vi seu comentário no meu blog. Então cara, até entando o seu objetivo, mas acho que no caso do Goru em especial a intenção nunca foi promover algo artístico ou sequer uma crítica, é realmente uma reprodução de fantasias sexuais bizarras como em tantos outros hentais. A gente pode observar isso pelos estereótipos femininos que são usados, são sempre mulheres em situações humilhantes e homens apenas na figura de dominadores e violentos.
      .
      Acho que não tem a ver com o que você busca, acho que ilustrações mórbidas com um conteúdo crítico podem ser usadas de uma forma muito bacana, acredito que você vá trabalhar com elementos de diversos gêneros e situações e não mulheres estripadas.
      .
      Enfim, é bem difícil trabalhar essa linguagem de forma positiva e sem reproduzir ou legitimar a violência, mas acho possível.

  3. #4 por Camila em 30/07/2009 - 20:08

    Achei ótimo você falar neste assunto! Abri um tópico sobre isso numa comunidade feminista do orkut.
    É uma questão muito séria mas ninguém fala sobre isso!

    • #5 por laoviahn em 30/07/2009 - 20:41

      Onde, onde?
      Quero ler!

  4. #6 por ... em 04/08/2009 - 16:20

    gurochan.net

    Tem um site só pra isso. Argh.

  5. #7 por Peri em 13/08/2009 - 15:26

    O machismo inventa a difunde taras que ganham cada vez mais adeptos. Todas das mulheres com quem tive alguma relação sexual gostavam de ser, de alguma maneira, submissa, umas muito submissas, outras pouco submissas. Com amigas íntimas eu reparava que essa tara se repetia. Estou cônscio de que isto tem origens no machismo de nossa civilização. Como estudante de psicologia, acredito que a sexualidade feminina é, até os dias de hoje, tão reprimida, que muitas mulheres criam alguma “necessidade” inconsciente de serem punidas durante o ato sexual, uma vez que elas mesmas acham, no fundo, condenável fazer este sexo. Uma mulher sexualmente livre é tratada com ojeriza pela sociedade; é discriminada até os dias de hoje. O comportamento sexualmente submisso de muitas mulheres também parece refletir a interiorização de uma ordem social machista, ou seja, a submissão sexual de muitas mulheres parece ser a reprodução da maneira como elas aprenderam a ver o mundo (por terem sido criadas numa sociedade machista). O que estou dizendo é que muitas mulheres seriam submissas sexualmente por razões auto-punitivas e por terem interiorizado as relações interpessoais de forma machista, ou seja, teriam entendido (consciente e inconscientemente) tais relações como algo onde o homem deve se sobressair. Outra coisa é que há algumas mulheres que querem imitar atrizes pornô ou seguir dicas infames de revistas femininas de “como enlouquecer seu namorado na cama” e afins. O hentai guro é realmente perverso e bizarro, mas não deve ser condenado pois é uma válvula de escape para os sádistas. Sem essa válvula de escape, o sádico poderá ficar reprimido a ponto de fazer algo muito pior do que masturbar-se diante de um desenho que incita violência sexual. O machismo deve sim ser combatido no âmago da sociedade; deve ser combatido na televisão, na escola, no mercado de trabalho e em toda sorte de instituições, mas a representação (em desenho, por exemplo) de um ato sexual onde a mulher é submissa é algo corriqueiro e que tem, ainda, forte relação com a realidade, quando tal representação é feita de forma mais realista, obviamente, o que não acontece no guro. Torno a dizer que o hentai mais perverso e bizarro, como guro, me parece ser uma válvula de escape. Não deve ser combatido pois é o mais próximo que os sádicos podem chegar de exercer suas taras doentias. Se suas taras fossem mais reprimidas, poderá acontecer algo mais sério, como estupros e coisas do gênero.
    Esse tipo de hentai não deve ser proibido ou combatido, mas também não precisa ser enaltecido. Deve apenas ser procurado pelos sádicos que não vem maneira alguma de realizar, objetivamente, suas taras mais perversas. Deve ficar ao alcance daqueles que tem de fantasiar em satisfazer suas taras sádicas extremadas, uma vez que nunca poderão satisfazê-las em realidade.

  6. #8 por Fabrício em 13/10/2009 - 0:02

    putcha meds olha que so homem mas esses hentai aew…ja tao exagerando…;/
    as dona aew tudo morrendo e os cara em cima…oloko meu!!
    isso aew ja nao é mais aradismo ja é uma doença e o pior que tem doido que pega impulso e faz com a mulher,filha,sobrinha,enteada,etc. isso é vergonhoso para min eu que amo o japão(sou brasileiro mas detesto este lixo de pais ;/)e ainda sabendo destas bombas…aew é osso gente…mas…tem muitos hentais que mesmo antes de serem lançados foram proibidos pelo governo japones…justamente por eles serem muito rigorosos com as coisas…mas este aew parece que passou em branco…espero que eles proibam estas atrocidades…;/

  7. #9 por Fabrício em 13/10/2009 - 0:22

    caramba!!!!!!!!!!…eu entrei neste site aew ki a/o …
    falo putz grila tinha uma foto la ki a dona la tava sem cabeça a cabeça dela esttava no joelho dela e ela estava toda amarrada…caramba olha que so acostumado a ver braços pernas dedos dos pes e das mao dilacerados e ja vi gente(de verdade) sem a cabeça e sem os miolos do cerebro mas aquilo ali foi a primeira vez que vi…eu tenho um site hentai mas…nao daquilo meu hentai é do tipo os personagens fazendo (AMOR) e nao selvageira se é que me entendem…e tenho que confessar…fiquei com um poco de nojo…e olha que estou me treinando para nao ter nojo de nada…(vo fazer faculdade de bio mecanica…troca partes inutilizadas do corpo humano por proteses)mas fiquei com um pouco de nojo…por que eu gosto de ver hentai de qualidade e nao quelas bizarrices…aquilo ali ja é muita,muita mas muita loucura mesmo…os japoneses acho que tem algun tipo de atração por bizarrices…pra começar as japinhas nao se depilam…segundo os cara sao louco por hentai loli-con (hentai de criancinhas véi !!!!)…terceiro hentai Yaoi(hentai gay !!!!)…agora eu nao sei quem gosta de hentai yuri(hentai lesbico) mas eu acho enteressante…bem é isso no final de tudo os japoneses se amarram em bizarrices e loucuras sexuais e estao dispostos a fazer qualquer coisa para realizar tais atos…

  8. #10 por _Vegan_ em 13/11/2009 - 11:37

    Quanto ao comentário acima, não sei se esses desenhos [assim como filmes pornôs] servem como válvula de escape para sádicos, porque esses desenhos e filmes REFORÇAM a condição submissa e humilhante da vítima, ao passo que o sádico se vicia cada vez mais na pornografia, onde ele pode extravasar seu ódio pela Mulher.
    Ele extravasa esse sentimento, mas também se alimenta cada vez mais do mesmo ódio; ou seja, é um ciclo sem fim.

    Se o cara é sádico, é porque ele é doente. Não deveria existir filmes e desenhos para “extravasar” seu ódio; essa pessoa deveria ser CURADA, ao ponto de ser capaz de ter relações sexuais [e amorosas] com respeito pelo outro, pelos sentimentos alheios.

  9. #11 por Vandread em 25/11/2009 - 21:34

    Bom se trata daquela velha historia é mais fácil começar um protesto que mudar de pagina.se vc acha uma coisa agressiva a sua pessoa ou que te ofenda simplesmente não olhe. se vc não bebe não va em bares, se vc não come carne não entre em churrascaria.
    se todos pensassem assim acho que haveria mais tolerância no mundo.

    • #12 por whothehelliscely em 02/02/2010 - 22:49

      O contrário meu amigo, é MUITO MAIS FÁCIL virar a página (o que 99% das pessoas fazem, incluindo VOCÊ), do que começar um protesto por algo que valha a pena. Ok, deixe os pedófilos agirem, porque afinal de contas precisamos ser tolerantes. Ninguém pretende ir lá matar os doentes que resolvem inventar uma coisa grotesca como essa, porque minha arma é acima de tudo minha voz, e a consciência que isso desperta em muitas pessoas. É irônico falar em tolerância e defender que um absurdo desse seja “deixado de lado”.

  10. #13 por josdimar em 02/02/2010 - 17:43

    como assim

    • #14 por whothehelliscely em 02/02/2010 - 22:51

      q/

      Leia!

  11. #15 por Jorge em 11/02/2010 - 5:32

    Entrei em um site lolicon pra ver oq era, e acabei eu um manga q dizia assim na descriçao ” manga: lolicon, guro antes q entre e veja esse manga,passe no google e veja oq significa lolicon e guro” e foi oq eu fiz acabei nesse post e vi oq realmente eh guro. Pela primeira vez tive nojo de ver um hentai, nao sei como pessoas sentem prazer em ver uma cena dessa, uma pessoa morta, nua e tentando ter relaçao sexual. Se existe algum duente q realmente desejaria fazer isso, realmente ele ja passo do nivel de louco. A questao de mulheres submissas nao leva em conta a existir uma mulher q deseje algum tipo de relecao sexual sendo q ela va sentir dor ou ate se machucar a ponto de estragar o proprio corpo. Apesar de sua foto medonha celly , sua ideia sobre isso deixa uma ideia bem aberta sobre a mente de pessoas q chegam a esse nivel de prazer com hentai guro( q na minha opiniao nao deveria nem existir). Espero q todas as pessoas q quiserem uma ideia sobre isso acabem nesse post!!!!

  12. #16 por bred12 em 12/02/2010 - 11:49

    a gente posta mas quem tem ideias diferentes da vacilona tem os posts apagados.

    • #17 por whothehelliscely em 12/02/2010 - 20:52

      o babacão, que que foi apagado?

  13. #18 por liliana em 13/02/2010 - 10:59

    manifestação contra a violencia atravez da falta de educação e mesmo que tentar apagar um incendio com gasolina.

    • #19 por whothehelliscely em 13/02/2010 - 12:52

      Oi?

  14. #20 por wess em 16/02/2010 - 11:39

    uma coisa eu sei qunto a protestos deste tipo, so fazem a coisa ficar pior é aquele caso de fale mal mas fale a unica coisa que esta pagina esta fazendo é dar mais força e polemica ao assunto, tem ate fotos dos desenhos.
    isso so faz a coisa ser mais conhecida e mais forte.

    • #21 por whothehelliscely em 19/02/2010 - 1:11

      Discordo, acho que já é bem conhecido nos “meinhos”, mas falta crítica em cima dessas porcarias com violência erotizada.

  15. #22 por drika em 20/02/2010 - 10:29

    Nossa isso rola d+ eu ja li vários livros que falam da lei da atração quanto mais se fala em um assunto mais forte ele se torna mesmo sendo contra. o caso das fotos no site eu também concordo por incrível que pare um colega meu que tem uma banda de metal viu as fotos neste site e agora quer fazer a capa do próximo cd com estes desenhos. Tudo bem o cara e meta doidão mas ele só conheceu este estilo de manga porque viu neste site que protesta contra a parada é mole.

    • #23 por whothehelliscely em 22/02/2010 - 2:34

      Drika, eu garanto que existem muito mais links mostrando esse tipo de conteúdo para quem deseja do que alguém tendo uma visão crítica sobre o assunto. Se o cara que você conhece pretende fazer um cd com esses desenhos, com certeza não foi só por causa do meu post, ele pode encontrar tudo de mais porco por aí se quiser impressionar os amiguinhos. E bom, se eu tirar as fotos, a tag continua presente pra quem quiser pesquisar, então acho que a censura e omissão nunca são a solução num caso desses.

  16. #24 por wess em 21/02/2010 - 15:06

    Oi tudo jóia?Tudo bem em discordar de mim cada um tem uma opinião e eu respeito a sua, mas existem fatos que acontecem a gente concordando ou não, tipo depois de cada noite vem o dia e isso acontece vc concordando ou não.
    Na minha opinião se vc é contra uma coisa deveria apoiar o que é oposto a ela no caso montar um site falando de animação alternativa ou produções independentes, alem de ajudar outras pessoas vc não faz propaganda gratuita de uma coisa que é contra e ao mesmo tempo tira o foco desta coisa.
    Pense nisso.

    • #25 por whothehelliscely em 22/02/2010 - 2:42

      Oi “wess”, tudo e vc?

      Como coloquei pra Drika, acho que existe muito mais material disponível com opinião omissa ou favorável do que qualquer outra coisa. Ao mesmo tempo em que algumas pessoas podem vir a conhecer isso através de um link do meu blog, dentre todos os links, a esmagadora maioria delas concorda que é absurdo e passa a ter uma visão crítica. Os poucos dementes que vêem isso e acham tranquilo já conhecem coisas iguais ou mais brutais e não é meu post que vai ajudá-los a reafirmar esse conteúdo, entende? A ideia de promover animação de qualidade é bem bacana, mas infelizmente eu não tenho tempo pra gerenciar esse conteúdo, então me foco em trazer temas polêmicos que envolvem a questão de gênero, e esse é um tema bem alarmante porque já vi muita gente falar disso por aí. Enfim, espero que entenda meu ponto de vista, a última coisa que eu gostaria é de promover um conteúdo violento, mas infelizmente não dá pra fechar os olhos pra algo tão extremo que foi criado e conquista admiradores.

      Abs

  17. #26 por bira em 25/02/2010 - 12:10

    pergunta uma coisa se o cara gosta de ver essas paradas na privacidade de sua casa qual o problema????
    des de que não prejudique ninguem deixa os doidões curtirem suas taras. os filmes porno estão ae, os filmes gore e splater extreme e por ae vai. cada um cuidado da prorpia vida no seu quadrado.
    não seria legal ninguem dar pitaco na vida e no jeito dos outros.
    porque ninguem reclama dos evangelicos que so fazem e vender cds e tirar dinheiros dos aposentados em nome de deus.

    • #27 por whothehelliscely em 26/02/2010 - 1:39

      Cada um no seu quadrado é a coisa mais egoísta, mesquinha e estúpida que alguém pode dizer. Simplesmente porque, atitudes como a dessas pessoas escondem comportamentos e valores que vão afetar várias pessoas dentro de uma sociedade, somos seres seres sociais, não estamos sós. Ou seja, esse privado é mais público do que você imagina, e somos todos responsáveis por coisas como essa sendo promovidas por aí, carregadas de ódio e intolerância. E sim, eu também reclamo dos evangélicos, embora não tenha feito um post específico ainda.

  18. #28 por wess em 26/02/2010 - 9:00

    oi bira, vc coloco a coisa de um jeito meio tosco e um pouco ironico mas realmente tem um fundo de razão, da para se evitar muita confução cada um levando sua vida do seu jeito. de vez em quando eu falo no meu trabalho a frase: ” deixa eu cuidar da minha saúde porque da minha vida ja tem muita gente cuidando”. mas nem todos tem que concordar porque o livre arbitrio esta ai para todos.
    Quanto aos evagelicos pra mim nem gente eles são.
    um abraço.

    • #29 por whothehelliscely em 26/02/2010 - 21:07

      Qual é Weiss, você realmente acha que criticar um material violento desses é “cuidar da vida dos outros”? Só se for cuidar da vida das mulheres que vão sofrer as consequências de uma mentalidade sádica, seja em forma de violência física ou psicológica. Dessas eu cuido mesmo, e vou continuar cuidando. Livre arbítrio? O buraco é muito mais embaixo, esse tipo de expressão de ódio contra a mulher tem raízes históricas e sociais, não é simplesmente um demente qualquer que resolveu criar um mundinho de fantasia, pergunte-se porque não temos homens mutilados nesses desenhos. E veja também a situação da mulher no Japão, o assédio sofrido e a repressão sexual, talvez você entenda melhor o processo que gera materiais como esse aí.

  19. #30 por bira em 26/02/2010 - 15:51

    Valeu ae cara. quanto ao comentario da babaca ae que não pegou a mensagem e falo merda, eu vou explicar, cada um no seu quadrado quer disser cada um cuidando da sua vida ao invez de ficar criticando os outros e isso não que disser que vc não possa extender a mão ao proximo e ajuda-lo. o lance é não ficar criticando os outros a troco de nada.

    • #31 por whothehelliscely em 26/02/2010 - 21:11

      Bira, você só repetiu seu argumento burro e soltou um chiliquinho. Aliás, burro e extremamente senso-comum. Ajudar o próximo nesse caso também envolve denunciar materiais de extremo ódio contra indivíduos que são discriminados por gênero,cor e orientação sexual, não é simplesmente ajudar as velhinhas a atravessar a rua, ok? Temos problemas sociais e culturais, que geram essas desigualdades, e no caso das mulheres isso se aplica principalmente na visão embrutecida do sexo envolvendo violência, abuso e coerção.

  20. #32 por bira em 27/02/2010 - 10:35

    O MINHA FILHA EU NÃO TENHO CULPA DO SEU MARIDO NÃO DAR MAIS NO COURO NÃO.

    • #33 por whothehelliscely em 27/02/2010 - 16:44

      UHAHUUAUHUAH, aprendam como ser um perdedor sem argumento com meu querido leitor Bira!

  21. #34 por wess em 28/02/2010 - 12:43

    É isso explica muita coisa!

  22. #35 por drika em 28/02/2010 - 13:44

    Oi eu acho que é vc que ta sem argumento cely vc coloca sempre seu ponto de vista de forma agressiva, ninguem gosta de ser chamado de estupito e egoista so porque tem uma percepção diferente da sua. defenda seu ponto de vista mas educadamente se não vc vai perder a razão mesmo que vc a tenha.
    beijão

    • #36 por whothehelliscely em 01/03/2010 - 3:34

      Oi Drika, não desrespeitei o amigo ali debaixo, e todo mundo que conversa comigo tem a opinião contrária sobre agressividade. Eu só acho o fim do mundo quando a pessoa vem com o papo de “cada um cada um” em plena sociedade, se achando na maior razão do mundo…isso é o tipo de coisa que precisa ser combatida mesmo ou nunca a gente vai ter uma noção bacana de coletividade, entende? Bjs

  23. #37 por bira em 28/02/2010 - 18:14

    noooooooossssssssssaaaaaaaaaaaaaa a gatinha te detono legal.
    aprendam a ser uma trouxa mal educada com a cely OK.

    • #38 por whothehelliscely em 01/03/2010 - 3:35

      Você é o cara mais mal-educado de todos os comentários desse blog Bira, quer confete?

  24. #39 por drika em 01/03/2010 - 12:19

    Oi tudo jóia?!
    Eu entendo perfeitamente o que vc coloco mas vejo que vc é muito ligada no aspecto da sociedade e isso eu acho que é um erro. Na minha opinião me desculpe a palavra mas sociedade é uma merda, as pessoas ficam preocupadas com o que a sociedade acha, o que a sociedade pensa e como a sociedade age. No Japão mesmo as pessoas piram porque passam o tempo inteiro preocupadas com o que o outro esta pensando dela, pó se vc faz parte de um circulo social e muda seu comportamento, estilo de vida, modo de pensar etc, vc é excluído na hora. Pega um ricaço que todo mundo da tapinha nas costas e tira a grana dele da noite pro dia o cara vira um leproso.
    Eu concordo com o Bira e o Wess que muita coisa ruim podia ser evitada se cada um cuida-se mais da própria vida e deixa-se o seu próximo fazer o mesmo, vivendo ou não em sociedade.

    • #40 por whothehelliscely em 02/03/2010 - 18:58

      O Drika,

      Eu vejo as coisas por outro lado. Como somos seres sociais, acredito que só eliminaremos injustiça e violência como no material citado quando tivermos uma noção de coletividade. A sociedade é sim, muito importante, porque ninguém aqui vive sozinho, e só acredito em felicidade se for para todo mundo. Acredito, sim, que devemos nos preocupar com as pessoas ao nosso redor, não acredito que o egoísmo possa resultar em algo bom para todos. Quando nos omitimos de algo por achar que estamos “cuidando das nossas vidas”, podemos estar decidindo pelo mais forte, por aquele que já domina e reprime alguém nessa sociedade repleta de excluídos e minorias. Um bom exemplo são as mulheres que lêem meus textos e se identificam, encontram suas angústias, e se empoderam para buscar espaço e justiça dentro de uma sociedade que infelizmente ainda exalta o homem, hetero e branco. Não tem como fugir da sociedade, precisamos trabalhar para que ela se torne melhor, a sociedade é nada mais nada menos do que nós, nossa vivência, nossa construção histórica como pessoas, e eu tenho lutado ao lado das minorias e marginalizados para fazer minha parte, reconhecendo inclusive meus privilégios.

      Termino com um comentário que uma garota deixou no meu outro post, que significou bastante pra mim:

      “Em nome de todas nós posso dizer: Obrigado Cely! Obrigado por mostrar nosso grito, nossa voz!”

  25. #41 por whothehelliscely em 03/03/2010 - 13:44

    Hm, eu trabalho. Tchau, Bira.

  26. #42 por wess em 04/03/2010 - 12:29

    Agora ta tudo mais do que explicado.

  27. #43 por vandread em 05/03/2010 - 12:59

    vc é tão burra que nem sabe qunado esta sendo zuada.
    bira, wess, drica, bred, liliana e eu somos fakes. como eu sou funcionario publico e tenho tempo de sobra resolvi zuar com a sua carinha de bosta. valeu pela diversão.
    ate mais.
    ps obrigado por contribuir com o meu salario!
    HA HA HA

    • #44 por whothehelliscely em 07/03/2010 - 22:34

      Aposto que aprendeu bastante :]

      Até a próxima

  28. #45 por Leandro Leite em 13/04/2010 - 22:44

    ^ comentário exdruxulo do cara aí de cima… (¬_¬)

    Eu quando vi Goru da primeira vez fiquei chocado (na verdade perturbado), sinceramente não acredito que alguém fique excitado com isso.
    Gostei do post, Ctrl+d pro blog.

    • #46 por whothehelliscely em 14/04/2010 - 23:11

      Valeu pelo seu comentário Leandro! Seja bem vindo!

  29. #47 por Leandro Leite em 13/04/2010 - 22:55

    P.S.: Continuei lendo alguns posts, e concordo com você em relação aos que dizem que “Se não gosta, vire a cara”, ok então, quando um cara passar a mão na bunda da sua filha de 12 anos você vira a cara também. Ok ok, meio radical, mas vivemos numa sociedade certo? Existem coisas certas e erradas no meio social, se ofende muita gente não deveria existir.

    • #48 por whothehelliscely em 14/04/2010 - 23:12

      Pois é cara, as pessoas ficam tentando relativizar e fechar os olhos pra tudo, pra não terem que se responsabilizar por nada que acontece nessa sociedade. Eu acredito que precisamos sim interferir!

  30. #49 por Ensis em 13/12/2010 - 13:54

    Um pouco de História:

    A Origem dos “Naughty Tentacles”:

    A cultura japonesa é uma das mais repressivas e exigentes do mundo. Creio que isso não seja segredo para ninguem. Devido a isso e ao Apreço ao pudor, era proibido por lei, ser exibido cenas de sexo explicito em qualquer meio (Até mesmo em trabalhos pornôs). Por isso os produtores de Hentai começaram a inserir “substitutos” para o homem na relação. O primeiro trabalho desses que obteve grande sucesso foi Urotsukidouji, que foi comercializado até mesmo nos EUA sob o título “The Legend of the Overfiend”, um dos trabalhos que iniciou a fama dos animes em geral. Adicionalmente, esse não é um trabalho apenas pornográfico. A trama é complexa e os personagens são bem caracterisados.

    Bem. o que eu quero realmente dizer é: Os tais monstros de tentaculos surgiram em resposta a uma sociedade repressora e púdica. E não como a fantasia de um grande grupo de pessoas. Embora não seja cego a ponto de não notar que isso muda um pouco de figura hoje em dia. Mas isso é uma influência cultural.

    Outro fato interessante: Existem tantos trabalhos de Submissão masculina quanto feminina rodando pelo mercado. O único problema é que não são vistos como tão degradantes quanto os de submissão feminina. Quando vemos uma cena de estrupro de uma mulher devemos nos sentir ultrajados com o crime terrível (O que realmente é. pessoalmente considero estupro pior do que assassinato). porém, quando são mostradas cenas de estupro masculino geralmente é tratado como piada! Pior ainda quando é uma mulher que estupra o homen. É como se não fossemos escravos de nossa própia libido!

    O meu ponto é: O guro (sim o nome correto é guro, não goru) é uma opção de estilo, tanto quanto o Shonen-Ai, ou BDSM, e a única razão pela qual existem mais hentais guro para o público masculino é o fato de que a maior parte dos desenhistas no japão é homem (se quer comprovar o que eu digo, basta fazer uma pesquisa sobre Slash-fics, e verificar quantas delas (escritas por mulheres)) envolvem estupros e tortura). Dizer que todo mundo que lê guro é o possivel estrupador ou psicopata é o mesmo que dizer que todo mundo que lê lolicon é pedófilo ou que todo homen/mulher que lê quadrinhos Yuri/Yaoi quer secretamente ser do sexo oposto.

    • #50 por cely em 14/12/2010 - 22:36

      Boa noite Ensis, obrigada pelo seu comentário.

      Entendo que o sexo explícito fosse proibido e por isso eles buscassem outro meio de trabalhar a pornografia, mas fica a dúvida, porque não homens penetrando substitutos? Porque o corpo da mulher é sempre uma mercadoria altamente vendável e o do homem é “preservado”? Não coloco em dúvida também qualquer capacidade técnica do roteirista em criar personagens e tramas complexas, isso não invalida a minha crítica.

      Sociedade repressora, púdica e extremamente machista e patriarcal, eu acrescento. Pode ser subversivo para a moral japonesa criar filmes com sexo bizarro, mas não é nada subversivo para o patriarcado a posição em que as mulheres aparecem nesses filmes, sempre violada, na verdade é ultra-conservador retratar a sexualidade dessa forma.Não é à toa que o Japão é considerado um dos países mais sexistas do mundo.

      Gostaria de confirmar de alguma forma essa informação sobre trabalhos de submissão masculina. No ocidente, ao menos, quase todo trabalho que envolve submissão masculina coloca o homem no papel feminino, de penetrado. E os trabalhos de homens submissos, são as mulheres que consomem? E sempre que vejo alguém falando desse tipo de Hentai são homens que gostam de ver as mulheres em situações como essas.Sobre o estupro das mulheres, não podemos ignorar o fato de que muitos homens acham a ideia excitante, e que um dos termos mais buscado em pornografia é justamente estupro (e ainda, que homens se masturbam tranquilamente vendo “Irreversível”). O estupro masculino na vida real é quase 100% cometido por outros homens, e eu não acho um crime menos grave. Sobre os estupros contra homens cometido por mulheres, seria total novidade pra mim ver isso retratado, porque até os próprios homens dizem ser um “privilégio”, e eu imagino que estejam bastante enganados mas é um assunto não-explorado por aqui. Não entendi sua frase: “É como se não fossemos escravos de nossa própia libido!”

      O fato da maior parte dos desenhistas ser homem não me surpreende, e é claro que homens vão direcionar conteúdo para homens. Meu questionamento está justamente no tipo de material que os homens gostam de consumir quando relacionados a sexualidade feminina. Slash-Fics são homoeróticos entre homens, certo? O fato de ser escrito por uma mulher também não muda muito a questão, porque é comum que as mulheres sigam o padrão do mercado estabelecido por homens, tanto é que hoje para chegar ao poder a maioria das mulheres precisa assumir posturas tipicamente masculinas, que caracterizam os altos postos da hierarquia.

      O que eu estou questionando aqui não é até que ponto os admiradores de guro vão ter seu comportamento influenciado, acredito que a maioria nem pense em fazer algo do tipo na vida real e não é nisso que eu quis chegar. O que eu coloco em pauta é o conceito geral que existe por trás de um material como esse, o cara pode até gostar de guro e não assassinar mulheres pra foder pedaços de carne expostos, mas ao menos uma paixão pela submissão e vulnerabilidade feminina com certeza ele tem. É como a cultura das gueixas que ainda impera no Japão, em que as boas mulheres são caseiras, caladas e receptivas. Vejo um reflexo muito forte da situação das mulheres no japão nesse tipo de “entretenimento”, e aqueles que consomem guro e estão inseridos na cultura ocidental também conservam esses valores. Da mesma forma, um cara que é viciado em pornografia de estupro não vai necessariamente estuprar, mas o conceito de que a mulher dominada à força é mais atraente no contexto sexual está enraizado no pensamento dele, e isso pode refletir nos seus relacionamentos de outra maneira, principalmente através de coerção da parceira.

  31. #51 por Gabriela em 16/12/2010 - 17:17

    Olha essa guria!!! Colocando a cara a tapa e rebatendo muito bem. Volto a afirmar que todos os homens são homosexuais, e quando reprimidos direcionam toda sua raiva contra a mulher. Essa raiva é expressada de várias maneiras. Por quê será que nesse tipo de quadrinho não são utilizados personagens masculinos?

    • #52 por cely em 23/12/2010 - 22:20

      Hehene imagina, tem que responder tod@s mesmo =]

      É, pouco se vê a figura masculina na mira dessas práticas. Volto a dizer que acredito na (bi)sexualidade geral =]

  32. #53 por Ensis em 17/12/2010 - 12:40

    Bem, é nesse ponto que eu discordo de você. Eu não vejo o papel submissivo como Exclusivamente feminino. É algo que pode ou não fazer parte de uma relação. Que é Culturalmente ligado a mulher. Por que o que da a entender, da sua discussão é: Que se um trabalho possui a mulher no papel submissivo, ele é machista por causa disso. E se um outro trabalho apresenta o homen no papel submissivo (O que é o caso em diversos trabalhos de estupro e dominação masculina) ele é machista por que o homem em questão é uma inserção feminina? Mas um ponto: Você diz que as autoras de Yaoi seguem tendencias do mercado masculino. Nesse caso suas maiores consumidoras (as mulheres) tambem não estariam demonstrando um gosto por esse tipo de trabalho? Outro fato interessante: O Japão é o lugar do mundo com o maior número de Denuncias de Estupro de homens do mundo. Eu não estou querendo negar que a cultura japonesa não é pratiarcal, por que é. O que eu quero dizer é que a repressão cultural afeta homens e mulheres igualmente, gerando comportamento depravado de ambos os lados. Quem já leu hentai, sabe que existem trabalhos de dominação masculina e feminina em praticamente igual número. Um exemplo flagrante e famoso? Boy Soprano,

    Na verdade, o maior atrativo de trabalhos como o guro, para quem gosta, é o fato de que assim como o lolicon, o incesto, sexo escatológico e estupro, são tabus, é Proibido, algo que você nunca faria de verdade. E o proibido SEMPRE vai atrair o ser humano.

    Ps: Quanto a frase, eu estava em dúvida entre escrever “E como se fossemos escravos da nossa libido” e “Como se não conseguissemos controlar a nossa libido”, ai acabei me atrapalhando.

    • #54 por cely em 23/12/2010 - 22:30

      Olá novamente Ensis,

      Então, em teoria o papel submisso poderia ser aplicável para todas as pessoas, independente do gênero. Mas, hoje a submissão feminina tem mais peso porque faz parte do status quo, é um papel predominante na sociedade (especialmente japonesa), por isso não podemos trabalhar com a “igualdade” de condições nesse caso.

      Esse lance da inserção feminina que você comentou é realmente parte do meu ponto de vista, porque se você parar pra pensar, os homens “afeminados” ou homossexuais, principalmente passivos, sofrem o mesmo tipo de discriminação que as mulheres, e são vistos “homens que se rebaixaram ao feminino”. A submissão masculina às avessas aconteceria de fato se enxergássemos uma mulher tomando a frente dos movimentos da penetração como algo poderoso, por exemplo, e não é o que costuma acontecer.

      Como funciona o Yaoi exatamente? São as mulheres que consomem?

      Eu não tenho dúvidas de que a repressão patriarcal afeta tanto homens quanto mulheres, porque ela não apenas define papéis sociais para gêneros, mas também coloca em vigência valores como agressividade, competitividade e tabus moralistas de todo tipo. Também concordo que as proibições atiçam a curiosidade, mas me preocupo bastante com a representação que esses trabalhos colocam e como isso pode influenciar o comportamento ou apenas os valores de alguém, principalmente se tratando de homens ocidentais (dos quais já ouvi atrocidades relacionadas a esses materiais).

  33. #55 por Ensis em 17/12/2010 - 12:55

    Ah, eu me esqueci de Responder a sua outra pergunta: Por que não utilizar substitutos da mulher em desenhos: A censura impedia apenas a aparição de orgãos genitais na tela.Como o pênis é a única parte sexualizavel do homem, ele é a parte mais fácil de substituir da equação. A mulher, querendo ou não, possui muito mais partes sexualizaveis,Portanto, mais dificilmente substituidas. E mesmo que fossem, seria por algo bastante similar. (Que o digam os quadrinhos Furry, e os Pornôs de Star Wars). E isso tudo ainda tenta evitar o efeito conhecido como “Uncanny Valey”, que causa uma certa estranheza em algo que aparenta muito ser humano mas não é (imagine um filme inteiro estrelado por manequins). Bem, falado isso, Existem sim Hentais de Tentacle Rape masculino… Só que novamente, eles são retratados de modo Cômico. Assim como Castrações e controle mental.

    • #56 por cely em 23/12/2010 - 22:35

      Oi Ensis,

      Então, esse lance do corpo do homens ter menos partes sexualizáveis também faz parte de uma condição machista, já que nós sabemos que o homem pode sentir prazer em várias regiões do corpo pouco exploradas como mamilos, ânus, nádegas, etc. A ultra-sexualização do corpo feminino (tornando inclusive impossível exibir um seio feminino em público), atrapalha e muito a vida das mulheres, já que sempre determina que o corpo delas está disponível para sexo, mesmo quando passa longe dos interesses da pessoa naquele momento.

      O fato do tentacle rape masculino ser cômico não surpreende também, se fosse uma condição igual as pessoas deveriam ficam excitadas, não? Assim como sexo anal é uma grande piada no mundo masculino (e grande tabu), mas algo extremamente erótico quando o assunto são mulheres.

  34. #57 por Ensis em 29/12/2010 - 23:33

    Através da história, a imagem do corpo masculino vem sendo exaustivamente utilizada pelas culturas de maior influência no correr da história. basta ver por exemplo Arte da Antiguidade ou Clássica, que por razões diferentes, cultuavam um ideal de beleza masculino. Ele foi exaustivamente utilizado, até que, através dos séculos, simplesmente perdeu apelo. Se for atrás de por que algo parecido não aconteceu com o feminino: Os padrões de beleza feminina mudaram tanto através dos séculos que sempre era uma novidade. Eu vejo essa superexposição da mulher de uma forma positiva, pois levará invariavelmente a uma banalização do corpo femino Identica a que aconteceu com o masculino. Quebrando assim, qualquer diferença que exista entre a exibição do corpo. Quer uma prova de que isso está acontecendo: Quem mulher à 50 anos deixaria a barriga a mostra? (Aliás, isso é algo que é aceito em mais lugares para mulheres do que para homens). Aliás, sabe por que essa exposição é mais nociva as mulheres do que aos homens? Por que culturalmente, os homens não se importam de serem vistos como Objetos ou mesmo Brinquedos sexuais. Essa é, na minha opinião, a maior barreira cultural que separa homens de mulheres nesse campo. Resumindo: Se faz necessário que culturalmente o corpo feminino seja banalizado (como a séculos o do homem já é), para que as mulheres gozem dessa autonomia social. Mas para isso é necessário uma mudança na mentalidade das próprias mulheres, mas do que da mentalidade masculina. Não admitir isso, é admitir que as mulheres não conseguem sobreviver sem o apoio dos homens.

    • #58 por cely em 07/01/2011 - 12:02

      os padrões de beleza masculino também mudam. Hoje, por exemplo, nós estamos vivendo um destaque para a figura andrógina (justin bieber), já tivemos épocas de adorar os “machões viris”, metrossexuais, enfim, existem alguns estereótipos masculinos que também se transformam. É importante observar que essa imagem histórica do homem e erotismo do seu corpo se deu enquanto as mulheres eram ESCRAVAS deles, ou seja, até mesmo o culto ao corpo masculino era uma forma de exercer poder, o que fazia dos homens sujeitos dos seus corpos, e nunca objetos.

      Mulher deixando a barriga à mostra é mais aceito do que homem? Bom, na minha cultura, os homens saem sem camisa e não são incomodados, mas se eu colocar minha barriga de fora vou ser assediada, ou mesmo uma saia. Os homens não se importam de ser vistos como “objetos” porque eles SEMPRE são sujeitos da situação, se uma mulher quer “usar” um homem, ele vai ter apoio cultural pra dizer que foi garanhão enquanto ela foi uma “vadia”, por mais que ela tenha tomado a atitude. Por mais que a mulher esperneie contra, as pessoas ao redor vão julgá-la nesses moldes. É claro que os homens nunca vão se importar, nunca sofreram na pele o que é ser julgado negativamente por causa dos seus corpos e desejos.

      Jura que você não considera o corpo da mulher banalizado atualmente? Em que é quase impossível mudar de canal sem ver mulheres semi-nuas servindo como decoração, strippers, pornografia livre na internet, e claro, as posições reservadas ás mulheres quase sempre se apresentam em função do corpo, e um corpo extremamente padronizado e moldado cirurgicamente. Quem não permite a “banalização”, ou melhor dizendo, o respeito ao corpo feminino, são os próprios homens, que desejam consumir compulsivamente e utilizar as mulheres como ferramenta de status, que não deixam em paz uma mulher que decide posar nua, por um lado afirmando que ela é “gostosa e que ele vai fodê-la” para os amigos verem e por outro xingando de vagabunda, puta, vadia, deixando claro o quanto uma mulher que se expõe é suja e merecedora de desprezo.

      E você ainda diz que a mentalidade das mulheres é que tem que mudar? Pra mim é a mentalidade dos homens que precisa mudar urgentemente, parando com essa mania de ver a mulher sempre como um ser inferior, comestível, medindo sua “fuckability” antes de qualquer outro aspecto, e ainda condenar aquelas que mostram sua sexualidade.

  35. #59 por William em 14/01/2011 - 10:57

    Olá Cely!

    Eu constantemente ouço uma webradio com o tema oriental (animes, dorama, filmes), e nessa rádio estreiou um programa por volta de julho que falava sobre hentai, e eu dei o grande azar de na hora em que eu colocar na rádio o locutor estava falando desse gênero, ele disse “tem muito sangue, tortura e tal”, como o ser humano é o mais curiosos que existe eu busquei imagens no google, e….a partir daquele momento eu fiquei muito chocado e ainda não recuperei do baque.
    Obs. Esse programa só foi ao ar uma vez, justo a vez em que eu ouvi, que coincidência, né !

    Hoje já não consigo mais assistir um anime sem lembrar do que ele falou, e olha que tenho muita coisa mais de um terabyte !

    Como eu sei que tentar lutar contra esse nicho é impossível (pelo menos no japão), ele deveriam esconder esse tipo de coisa ao máximo.

    • #60 por cely em 18/01/2011 - 9:34

      Oi William!

      Eu também gosto de alguns animes, e também fiquei chocada com esse gênero hehe, tanto é que ele serviu de pauta para uma análise mais profunda! Não sei se a solução é esconder, censura é um lance complicado, só acho que seria bacana uma reflexão maior acerca desses “fetiches”.

      Bjs

  36. #61 por Ensis em 17/01/2011 - 11:49

    Essa é a diferença que eu falei: os Homens não se importam com chingamentos, Ser chamado de corno, viado, galinha, é algo que não levamos a sério. Você pode argumentar que devido a cultura esses chingamentos são vazios, mas o que tornaria os que são voltados as mulheres mais verdade? Melhor ainda, com que olhos uma mulher olha para um homem? Dizer que que aparência física não causa a primeira impressão é uma mentira absurda.

    Voltoi a dizer que a sociedade deve se acostumar com o corpo da mulher, não esconde-lo. Afinal, ninguem esconde o corpo masculino. (E deve ser uma coisa de região mesmo, por aqui é mais fácil encontrar uma garota de top do que um cara sem camisa no meio da rua)

    Mas eu devo dizer que sua resposta me forçou a refletir sobre algo. Primeiro: Sobre o que é realmente olhar alguém como um igual, segundo, se existe mesmo uma possibilidade de homens e mulheres REALMENTE terem direitos iguais algum dia, com toda a diferênça que existe. E sobre o conceito de “sujeito” da ação, que ao meu ver é exatamente o ponto do pensamento que deve ser mudado, Afinal é visão puramente mental;

    Outro adendo: A questão de objetificação já foi levada até onde podia para os homens, afinal objetificamos absolutamente TUDO, Ninguem meche com os MEUS amigos, Esse é o MEU emprego, MEU filho vai ser um grande homem,MEU partido, MEU Time, MINHA empresa, a mentalidade do homem é uma mentalidade de posse, se o que você quer é mudar essa mentalidade, boa sorte em lutar contra toda uma história de posse e possessão, Muito mais útil seria concientizar as mulheres a pararem de se ver como objetos, pararem de buscar estabilidade, esse tambem é um comportamento enraizado na psique, e é bem mas nocivo do que qualquer objetificação. Além disso o própio machismo hoje em dia já é visto como piada, no mesmo nivel de chamar alguem de corno, viado, ou mandar “tomar no cu”, os que são realmente machistas são vistos como completos babacas. Mas de fato, eu só posso falar do mundo que eu conheço, do meu nivel sócial, E obviamente é claro que a população de zonas mais pobres com certeza precisa de uma reeducação urgente. Finalizando, o ponto principal do meu argumento é: As mulheres precisam de reeducação TANTO quanto os homens, fui mais extenso descrevendo o que na minha visão, precisa ser passado as mulheres por que o que falta nos homens já foi descrito extensamente.

    Voltando ao assunto do Guro: Saiu uma matéria na super interessante exatamente sobre acesso a pornografia e sua correlação com a redução do numero de estupros na ultima Década, eu acho que vale a pena ser lida.

    • #62 por cely em 08/02/2011 - 20:50

      Oi Ensis, desculpe pela demora da resposta (tempo, cadê vc?)

      Justamente, se os homens não se importam com os xingamentos não é porque essa é uma característica inerente do sexo masculino, é porque a auto-estima e segurança deles foi construída com sucesso durante a educação. O que torna os xingamentos contra as mulheres mais EFICAZES, e não verdadeiros, é a construção do sexo feminino no geral, a passividade, submissão e cobranças extremas, e claro, o histórico de dominação sobre elas. A aparência física é responsável pelas primeira impressões sim, mas não dá pra dizer que as cobranças são as MESMAS com homens e mulheres, já que TUDO o que uma mulher faz é imediatamente pautado na sua aparência, seja quem ela for (vide nossa presidenta).

      Eu adoraria que a sociedade encarasse o corpo feminino com NATURALIDADE, essa é a palavra chave para o respeito! Mas ainda existe uma euforia generalizada nos homens quando se trata de uma mulher nua, e essa euforia é negativa. Eu adoraria tirar minha blusa e andar por aí sossegadamente, sem sofrer agressões de todo tipo e ser considerada “disponível”.

      Eu não vejo a diferença entre os gêneros como motivo para desigualdade, e acho que a visão de sujeito não é simplesmente mentalizada indivualmente, é um fenômeno cultural, coletivo, está transformado na minha mente mas entra em conflito com o senso comum. Não adianta eu me ver como sujeito e lutar pelos meus direitos, quando começo a sofrer coerção de grupo e ninguém me leva a sério, é preciso mudar toda a cultura – como as feministas pretendem aos poucos.

      A objetificação e possessividade masculina é um ponto crucial do patriarcado.Sim, é possível lutar contra isso, inclusive essa foi a proposta do feminismo desde o início, descontruir o masculino e subverter a lógica que condena o feminino à inferioridade, e na nossa sociedade entende-se por feminino a cooperação, sensibilidade, valores que deveriam ser comuns a tod@s. As mulheres não se “veem” como objetos, Ensis, todas tem consciência de seus sonhos, vontades, desejos, e não é culpa delas se alguém as educou para a auto-anulação – sim, o feminismo trabalha no FORTALECIMENTO da auto-estima de todas. O machismo caricato é uma piada, mas existe o machismo socialmente aceito e incentivado, que eu denuncio em vários textos (vide o último), e é o grande vilão justamente por ser “invisível” para a maioria. Se a sua preocupação é a reeducação das mulheres, saiba que é o nosso foco uni-las e prepará-las para lutar pelos seus direitos, mas é preciso que ao menos você reconheça os privilégiso históricos e sociais dos homens e entenda que a desigualdade existe.O máximo que eu posso fazer em relação aos homens é conversar com eles, isso ainda quando escutam algo, tentando expor essa realidade.

      Sobre a matéria de pornografia, eu não acho nada posivito que o número de estupros diminua por causa do acesso ao pornô, seria o equivalente a dizer que os homens são animais sedentos compulsivos que precisam estuprar mulheres, e que estamos “diminuindo” o problema saciando-os com pornografia violenta. Não se combate o conceito de mulher abusada simplesmente cedendo materiais “de mentirinha”, que continuam povoando o imaginário sexual masculino com mulheres dominadas, humilhadas e objetificadas.

      Um abraço

  37. #63 por mylow em 18/01/2011 - 2:06

    Bem, eu concordo com o ensis em boa parte das coisas que ele falou, eu ja vi hentais e sei que tambem existem muitos hentais que possuem humilhação, mas a vítima são homens, tipo, existem pessoas que se excitam com a dor ou ver alguem sentido dor, claro que vida real uma relação assim tem de ser consesual, mas nos hentais eles possuem uma liberdade para fantasiar o que quiserem, pois por pior que a historia seja, existe uma grande diferença entre fantasias e realidade.
    Espero não ter ofendido, mas é que eu por exemplo, sinto prazer em ser dominado, e se for por uma pessoa que eu goste, eu posso ate sentir prazer em sentir dor, contato que respeite meus limites e que haja um respeito entre eu e minha esposa, se ela não se sente incomodada nem eu, podemos fantasiar o quanto quiser e quem não gostar, apenas não faça, mas eu concordo no seu texto que em grande parte das vezes, somos expostos a atitudes machistas, seja como as pessoas se tratam socialmente ou seja pela maneira que o sexo é encarado.
    Alem do mais, a aceitação tem de vir de ambas as partes, eu não devo nem nunca vou tentar forçar a minha esposa a fazer nada que ela não queira, alem do mais, se tentasse ela propria não permitiria, então so queria finalizar dizendo que uma coisa são fetiches e outra é machismo, o segundo pode estar dentro do primeiro, mas o respeito é o que separa os dois…

    • #64 por cely em 08/02/2011 - 20:56

      Oi Mylow,

      Nem pretendo entrar no âmbito privado da sexualidade, pois acho perfeitamente saudável brincar de dominar/ser dominado com @ parceir@ ou o que mais for de interesse de ambos. Também não gostaria que o fetichismo ou quaisquer desejos sexuais se misturassem aos preconceitos sociais, mas infelizmente é preciso ter olhar crítico para impedir que deturpem nossa sexualidade com os valores machistas que ainda são bastante atuais em pleno 2011.

      Abs

  38. #65 por Paulo em 08/09/2011 - 22:35

    Em tudo que se refere a fetiches, “filias” e outras preferências duvidosas, ficar buscando sentido em algo que deveria ser apenas…Masturbação e sexo.
    Eu já encontrei pessoas com todos os tipos possíveis de preferências sexuais, mas ficar tentar racionalizar e se ofender com cada uma delas não leva a nada.

    A verdade é que, o ser humano é imensamente inventivo e algumas vezes escroto em relação a sexo…

    Necrofilia, gore hentai, Zoofilia, folhinha verde e sei lá o que mais são apenas alguns exemplos.
    A verdade é que entre quatro paredes, ou na frente do PC, a gente se deixa levar.
    E faz essas merdas, porque o pau fica duro ou a perseguida fica molhada.
    Sim, porque o ser humano gosta de coisas esquisitas, não apenas o homem.
    O homem leva vantagem nesse ponto devido a sua posição na sociedade.
    A expansão das mulheres ocorreu faz pouco tempo e zas, então elas tem menos tempo para exporem seus gostos mais esquisitos.
    Mas existem bastante coisa estranha no mundo feminino tb.
    Ex: Não chega nem perto do Goru hentai, mas existe na comunidade trekker, uma série de contos eróticos gays entre o capitão Kirck e o Spock…E as mulheres adoram de paixão!
    Vai entender.
    Mas o que quero dizer, é que sexo é tudo , menos racional.
    As maiores merdas que fazemos na vida tem a ver com sexo.
    O cara começa a fumar pra impressionar a menina,vê pornografia no trabalho e é demitido, tem filho antes do tempo porque não tinha camisinha e tinha que ser naquela hora, é pego pela policia na rua com a boca naquilo e por aí vai…
    Não raciocinamos muito bem em nada relacionado sexo.

    Tipo, admito que em relação a sexo o homem tem a tendência a ser mais escroto.
    Eu, pessoalmente me excito pra caralho com mulheres submissas,dando tapa na cara, enforcando e sabe lá o que mais.
    Sou meio bruto na cama…
    =P
    Só não vejo como minhas preferências na cama afetam o que eu sou o que faço.
    Bato na minha namorada na cama, mas lavo a louça e ajuda a arrumar a casa.
    Gostar de certas coisas na cama são apenas isso, preferências.
    Na GRANDE maioria das vezes é isso.
    Resumindo, o que vc faz na cama está muito longe de definir o tipo de pessoa que vc é.
    Imagino que existam pessoas que comam merda que sejam muito legais, sem brincadeira.
    Mas é a maluquice que deixa o cara/mina excitado.
    Escroto, mas cada um cada um.
    E se analisando por

    Associar algumas escrotices que o “ser humano” faz em um contexto social e talz não leva a nada.
    Racionalizando podemos até chegar a conclusão que eu gosto de bater porqueminha mãe me batia, ou porque foi o que os aliens deixaram programado, mas é o tipo de coisa que é intima e nenhuma resposta ampla seria realmente satisfatoria e nem necessária.

    Sei lá.
    Não tenho tempo pra falar tudo que gostaria mas a ideia é mais ou menos essa.

  39. #66 por sadico em 23/09/2011 - 1:47

    Bem na verdade eu curto esses lance dos tentaculos e recentemente descobrir esse tal de Goru
    pra falar a verdade eu curto essas coisa fora do normal principalmente o Goru!!! mais sou completamente normal só curto hentai mesmo!! abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: