Machos para Machos

Hoje eu estava navegando por aí em um momento de ócio, lendo blogs alheios, como sempre faço. Acabei em um blog com temática gay, escrito por um rapaz homossexual politizado e cheios de ótimas idéias, quando me deparei com um post sobre erotismo e aquela coisa toda, com um link para um site chamado “Eles para Elas”.

Pra começar acho que o nome deveria ser mesmo “Eles para Eles”, ou em um futuro utópico “El@s para El@s” (ok, não podia perder essa).Todo o ambiente do website parecia pensado para o imaginário masculino, até a linguagem corporal dos modelos buscava referências do universo gay. Fiquei pensando se realmente uma mulher poderia comprar aquela idéia de erótico escrachado, entre peitos depilados e gominhos de esteróides. Claro, caímos na velha questão dos esterótipos, sexualidade vendida, nú opressor, e tudo mais. Mas parece que a tentativa de vender corpos masculinos às mulheres acaba num fiasco, quem realmente se apropria do conteúdo são, pra variar, outros homens.

Fala-se muito sobre a inserção dos desejos femininos no mercado da libido, tentam até mesmo confrontar o status quo machista argumentando que homens também são expostos, condicionados e sujeitos às ditaduras do corpo. Porém, infelizmente o que temos são alguns modelos depilados e cheirando testosterona que posam nús em posições viris e atraem o público gay. E o que dizem deles socialmente? Simplesmente não são chamados de putos, vadios, vagabundos,e se o são, com certeza em um sentido favorável. No máximo os amigos dão uma risadinha e falam que é coisa de “gay”, mas isso é facilmente resolvido com uma pose de “macho” e algumas mulheres como troféis.

É impossível ficar excitada com uma coisa dessas, sério. Pessoalmente, eu tenho problemas com associações de “macho”, qualquer referência que me remeta aos trolls, trogloditas e nenandertais do dia-a-dia me deixa em profundo estado de náusea. Esses músculos dourados banhados a um óleo possivelmente nojento, conquistados com uma puxação de ferro sem propósito infinita, esse olhar de potencial estuprador, essa barba por fazer que denuncia um look “rústico” digno do macho, argh. É um conjunto de valores estúpidos reunidos em uma única imagem.

Odeio machos, odeio. Não homens, que fique claro, apenas machos. O masculino estereotipado me cansa, me dá desgosto. Na categoria de macho não precisa ser anaboliza-boy não, pode ser o tio da esquina ou o garoto aparentemente legal, o que conta é o comportamento bruto e ignorante, o machismo inconsciente, a voracidade sexual biologicamente argumentada e a busca incessante pelo status.

Uma dica infalível para reconhecer o macho é perceber o quanto e como ele fala de moças, parece que quando o assunto é um ser tipicamente feminino muda o tom de voz, as pupilas dilatam e são vomitados comentários nojentos de todos os tipos. O primeiro passo costuma ser a “avaliação geral” da mulher, pois para um macho é impossível falar de uma suposta fêmea sem fazer seu julgamento sobre seu corpo, por mais que isso soe ridículo. É sempre a “gata”, ou a “baranga”, ou a “mal cuidada”, a “razoável”, a “bonitinha”, a “gostosinha”. Como se realmente importasse a opinião dele sobre o corpo que pertence a ela.

O macho não consegue ver as mulheres como pessoas, ele enxerga partes expostas na vitrine prontas para serem provadas. Todas as moças que ele considera bonitas demandam uma super estratégia para conseguir sexo, é inadmissível permitir que mulheres bonitas sejam apenas boas amizades e companhias, é preciso enfiar o pau nelas.

O macho não gosta de sexo, ele só precisa gozar. Ele acha que pornografia é sexo legítimo, bate punhetas para a Playboy com naturalidade, cria fantasias de sexo anal com qualquer bunda que vê pela frente, busca um sentido para a própria vida na penetração e vê o mundo como uma selva em que ele é o predador e as mulheres são as presas.

A palavra “gostosa” é o mantra do macho. Gostosa, comestível, aproveitável, utilizável, nem ele sabe porque usa tanto esse termo, mas tem tudo a ver com o que ele pensa sobre mulheres.

Para o macho mulher tem que seguir a cartilha da feminilidade à risca, incluindo depilação, creminho, malhação e as posições novas que a revista Marie Claire ensina para enlouquecer seu homem.Não importa tanto o estilo que ela vista, contanto que se mostre sempre disponível, sexy e dengosinha e procure um dos padrões femininos vigentes para se adequar.

O novo macho não entende o que é machismo e adora dizer que isso não existe, afinal ele é burro demais para entender suas atitudes ou esperto demais para mantê-las como estão confortavelmente. Ele é frequentemente homofóbico, acha uma mulher lésbica desperdício e um homem gay sinônimo de mais mulheres a disposição. Porque o que importa é gozar, e gozar com uma mulher, por uma mulher, na presença de uma mulher, atrás de uma mulher, em cima de uma mulher, pensando em uma mulher, etc. etc. etc.

Finalmente, o estilo macho não é exclusividade de pobre, pedreiro, playboy, ou qualquer estereótipo, o macho pode estar vivendo sob o seu teto com uma máscara de homem. O macho está na padaria, na boate gay, na pracinha, no clube alternativo, no show de hardcore, na igrejinha e na sessão de filme cult, não há limites para o seu alcance.

Se eu pudesse exterminava essas pragas, mas o máximo que eu posso fazer é manter a calma e tentar um papinho subversivo qualquer.Quem sabe um dia eu consigo fazer com que estes homens enxerguem, pelo menos uma vez, mulheres como indivíduos conscientes e autônomos. Enquanto isso, curtimos o avanço do mercado de corpos na construção de machos viris e fêmeas de plástico.

Anúncios

, , , , , , , , , , ,

  1. #1 por Deborah em 02/07/2009 - 13:52

    Poizé querida.

    Também SUPER brocho com macho! E o PEOR é que não acreditam quando falo isso, é um tal de “ah, mas duvido que se um desse aparecesse na sua frente…”
    Definivamente não gosto de “gostosas” nem de “gostosos”.

  2. #2 por pedro keppler em 03/07/2009 - 12:32

    eu sou contra pornografia softcore. Eu acho que é a mais plastificada e a com os piores valores políticos. Na hardcore as pessoas não se comportam como pessoas nem objetos – a maior parte dos atores são pessoas comuns com características distintas (a genitália, a bunda, os seios, etc. grandes), muitas delas nem bonitas (homem barrigudo, mulher desproporcional)…ela fica muito mais no plano do prazer puro do que do prazer estilizado de acordo com a conjuntura atual.

    softcore também é mais brega. são tipo santinhos de igreja…parecem coisas fora do lugar certo.

  3. #3 por Raiza em 13/07/2009 - 22:14

    Também não gosto do estilo “Macho”.me dá nojo,brocho mesmo.Há alguns anos fiz um fotolog só pra postar fotos de homens bonitos (porque né,a gente só acha foto de mulher semi-nua na internet,homem que é bom,necas),com o tempo percebi que as mulheres também não gostam desse tipo macho,eu tenho muito mais visitas e comentários quando posto homens mais delicados e menos esteriotipados.Quando posto os machos,só aparece homem gay.
    Obs:Caso possa interessar: http://www.flogao.com.br/homensgatos
    Obs 2:As fotos não são muito eróticas senão o servidor me deleta ¬¬

  4. #4 por irisnery em 24/07/2009 - 2:10

    olá celi! muito legal seu blog, vou favoritar.
    parabéns pela iniciativa!

  5. #5 por Camila em 26/07/2009 - 21:07

    Seu blog é excelente! EStou adorando!!! O conheci por meio do concurso que estão realizando no blog de Lola Escreva Lola Escreva.

  6. #6 por _Vegan_ em 13/11/2009 - 10:58

    Cely, adoro seu blog, e neste post em específico, você expressou em palavras a repugnância que sinto pelos “machos”. E o pior, é vê-los durantea transformação homem-macho: amigos meus eram homens; hoje, são “machos” porque acham que mulher gosta de brutos, ou porque foram por demais influenciados pela mídia, e já nem sabem do que gostam realmente.

    Acho triste e principalmente preocupante o que os homens consideram como “masculinidade”. Sempre há essa associação entre “ser másculo” com “ser arrogante, O caçador, o egoísta maniplador”, etc.

    Ainda sou iniciante no feminismo, estou aprendendo bastante com seu blog, nas comunidades do orkut e com os livros feministas.

    Parabéns por seus textos, certamente inflenciam ainda mais gente do que posta aqui
    Bjs,
    carpe diem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: